Vamos conversar sobre? Redução da maioridade penal.

   

(filme Cidade de Deus)


    Alô, alô amigos. Voltei com aquele tema de post "vamos conversar sobre" porém este será diferente do anterior. Vou precisar da ajuda de vocês. O assunto da maioridade penal é um dos assuntos mais comentados ultimamente. Reduz ou não reduz? Você já tem uma opinião formada? Então que tal trocarmos informações e pontos de vista? 

   Lembrando que o projeto da redução da maioridade para 16 anos vale para crimes hediondos, como estupro, roubo seguido de morte etc etc etc. Levem em conta a atual situação do nosso país, sem viajar na maionese achando que a educação vai melhorar 100% do dia pra noite. Considerem o que temos hoje: baixa qualidade das escolas públicas e alto índice de violência por parte dos menores de idade. 

   Você é a favor da redução? Por que? Acha que a solução é jogar os menores na cadeia para conviver com outros criminosos? Será que o menor vai mesmo pensar 2 vezes antes de cometer um crime? 

   Você é contra a redução? Por que? O que devemos fazer com os menores que estupram, roubam e matam já que a Fundação Casa não está dando conta? Um menor que comete crimes hediondos é vítima da sociedade e não sabe que o que faz é errado? 

   Comenta aqui embaixo o que você acha. Não precisa debater com outros opinadores, apenas fale a sua própria opinião. Se preferir pode deixar uma mensagem na fanpage do blog ou no meu próprio facebook. Seu ponto de vista vai ajudar na construção dos próximos dois posts, intitulados "Redução da maioridade penal: eu apoio!" ou "Redução da maioridade penal: eu não apoio!" Eu sei que quando se trata de um assunto que envolve a sociedade, fica meio difícil de chegar em um senso comum. Mas vamos tentar entender os dois lados pelo menos. 

    Então solta o verbo aí nos comentários que eu estarei daqui lendo e redigindo um texto com as opiniões de vocês.

   EM TEMPO: estou com problemas nos comentários enviados por aqui :( o blogger não mostra eles pra mim, parece que deu um bug. Vou tentar resolver. Mas podem mandar no próprio facebook (facebook.com/ialinemedeiros)

  EM TEMPO 2: Os textos já foram montados! Clique aqui para achá-los

Compartilhe:

, ,

Comentários

3 comentários:

  1. Se para cometer um crime de tal forma, tem que ter capacidade para pagar por ele. E não vai apenas de ter melhores escolas, mas de sua educação fora da escola ! Os bairros cada vez mais perigosos e é no próprio bairro que eles aprendem tudo isso, tem que aumentar a segurança, e acabar com isso. E depois que tu é roubado por um mlk vc fica sim indignada ! Tem que pagar pelo ato sim, independente do crime piorou crimes tão graves.

    ResponderExcluir
  2. Bom, vamos lá! Quem defende a não redução da maioridade penal, JAMAIS defende impunidade. Uma coisa não tem relação com a outra. Embora eu seja contra a redução da maioridade penal, eu nunca diria que um adolescente que comete crime não deve pagar por eles. Nem tampouco que ele não tem consciência. Mas por que sou contra a redução? Primeiro: isso não é a solução; o Brasil tem uma das maiores populações carcerárias do mundo e ainda assim é o 11º país mais violento do mundo. Segundo: na minha opinião (e que muitos discordam reproduzindo o discurso de que "bandido bom, é bandido morto") a função da cadeia é recuperar o indivíduo e reintegrá-lo à sociedade, e não vemos isso hoje (um pouquinho de estatística: 70% das pessoas que são presas no Brasil voltam a cometer novos crimes). Então se temos essa realidade porque jogar um jovem na prisão? (novamente: não falei que o jovem não será punido). Terceiro: o sistema carcerário brasileiro comporta quase o dobro de sua capacidade e, na maioria das vezes, as pessoas permanecem em condições sub-humanas (e eu não acho que os presos tenham que viver em condições sub-humanas. Que paguem pelos seus erros, claro! Criminosos ou não, são humanos, merecem o mínimo de dignidade). Com a redução há uma maior demanda de detentos, e adivinhem? Mais gastos. E gastos é o que o governo está tentando cortar, não é? Afinal o Brasil se encontra numa grave crise. Para quê gerar mais gastos? Isso vai sair do meu, do seu, do NOSSO bolso. E por último: jogar o jovem num ambiente desestruturado como esse só vai fazer ele se tornar um criminoso de primeira: vai para um lugar onde os índices de reincidência são altíssimos e não vai ser recuperado. Vai sair, vai cometer mais crimes e voltar a ser preso... e a gente não vai sair desse ciclo nunca.
    Por estes motivos, eu acredito que a redução não é a solução. Acho que deveríamos concentrar esforços para melhorar a educação, proporcionar uma nova visão de futuro para esses jovens, mostrar a todos que eles podem ser mais do que criminosos e não em construir mais presídios. Acho uma pena um país grande como o nosso gastar com detentos o triplo do que gasta com estudantes. E só mais uma coisinha: já me perguntaram "tá, a gente dá educação, a gente melhora as condições de vida do jovem, permite que ele tenha acesso a todos os direitos básicos, permitimos que ele tenha segurança, conviva num ambiente saudável, cresça e tenhas as oportunidades. E se mesmo com tudo isso ele ainda cometer crimes?". Oras, que ele pague pelos seus crimes, Nunca disse que ele não pagaria, apenas disse que lança-lo num sistema falido não resolve o problema. Prendemos e damos uma nova chance. Recuperamos o indivíduo, damos outra chance de ele se ressocializar, estudar e trabalhar. Aliás, já existe a Fundação Casa. Não seria mais eficiente (e econômico) reformular um sistema que visa tudo o que explicitei a vocês para que ele possa, finalmente, cumprir com o que ele visa? Utopia?! Não sei. Para uns pode ser, para mim nem tanto. Eu acredito que as pessoas merecem uma chance de se redimir, ao mesmo tempo que pagam pelos seus crimes. Não vejo como solução abandonar e jogar na cadeia quem é o futuro do país, assim como eu, você, assim como nós!

    ResponderExcluir
  3. “Olha o que o Cunha fez, esse corrupto! Ele conseguiu que aprovassem a redução da maioridade penal na câmara. Que desumano! Ninguém pode botar na cadeia um jovem que comete um crime hediondo. Imagina! O Cunha é burro. A linha de raciocínio é muito óbvia: o jovem é pobre, e por isso ele tem que roubar. E são não entregarem o que ele quer, esse jovem é obrigado a atirar! Ele tirou uma vida porque é uma vítima da sociedade.”
    Eu estava pensando um dia desses... todo esse apoio à não redução também tem um “preconceitozinho” escondido. A defesa é simples: o infrator era pobre e por isso roubou. Ou seja: se você é pobre, você pode ser ladrão. É teu destino, pobre.
    Dai a gente vê aquele caso na TV do repórter que perguntou aos menores por que eles estavam realizando assaltos à mão armada e eles respondem em sequência: “roubei porque não tinha professor na sala, dai eu vim pra rua”, “roubei porque minha escola era de sucata” e por último, mas não menos importante “roubei porque não tinha aula no colégio”. E com certeza, depois de ver essa reportagem, todo mundo vai lembrar que na primeira aula da quinta série os professores reuniram a turma e explicaram “Eu sei que vocês são jovens demais para ouvirem isso, nem sei se onze anos é a idade certa pra aprender essas coisas... mas bem, matar e roubar são coisas ruins, coisas erradas”. Dai todo mundo na sala ficou de olhos arregalados, um olhando pro outro. “Matar e roubar são coisas erradas? Como assim? Eu nunca ouvi falar nisso, professor!”. Caramba. Imagina só se não fosse essa aula?! Ninguém ia saber essas coisas que só aprendemos na escola. Se eu não tivesse passado pelo colégio, não ia saber gramática, trigonometria (droga, isso eu ainda não sei) e também não ia saber que não se pode matar nem roubar. Imagina só, chegar aos dezesseis anos sem ter noção disso! Ia hoje ter dezenove sem saber dessas coisas. É, mas infelizmente tem gente que não pode frequentar o colégio e por isso não aprende que é errado praticar crimes.
    Como assim você não se lembra daquela reportagem nem daquela aula? Não lembra mesmo? Claro. Nenhuma das duas existiu. Tem coisa que a gente não aprende na escola. Tem coisa que ninguém precisa ensinar pra gente.
    “A emenda aprovada propõe a redução da maioridade penal, de 18 para 16 anos, nos casos de crimes hediondos (estupro, sequestro, latrocínio, homicídio qualificado e outros), homicídio doloso e lesão corporal seguida de morte. O texto também prevê a construção de estabelecimentos específicos para que os adolescentes cumpram a pena.” É essa a proposta. Ninguém falou em chicotear o jovem que bate carteira no centro. A proposta é punir severamente crimes hediondos. Sinceramente, eu não consigo entender alguém contra a redução da maioridade penal nesses casos. Eu fico pensando... se um amigo meu é vítima de latrocínio (roubo seguido de morte), sinceramente, eu não ia querer menos que uma morte lenta e dolorosa pro criminoso que fizesse isso. Mas as pessoas estão gritando que o menor assassino é uma vítima recuperável da sociedade e que vai aprender coisas horríveis na cadeia. O que mais pode aprender alguém que mata pra roubar uma bolsa, um celular? “Olha só, você está indo bem, mas atira desse ângulo que fica melhor”.
    Enfim... não se pode encostar nos delinquentes da República das Bananas. É isso.
    (Eliene aqui.)

    ResponderExcluir